sexta-feira, 29 de junho de 2012

"We Are Young."


     "Sou do tempo em que.." é o começo preferido pelos mais velhos para se referirem aos seus melhores anos, e eu nunca entendi muito bem essa ânsia em relembrar o que se passou, até perceber o quão diferentes as coisas se tornam com o passar do tempo, e como é reconfortante buscar um "porto seguro" nas coisas do passado. Sou de uma das ultimas gerações - senão a última - a jogar bola na rua, marcando as 'traves' com chinelos, parando a toda hora para os carros passarem. Com 13 anos nossas preocupações consistiam em chegar rápido em casa para assistir Dragonball Z, e não em "sofrer por amor" como os adolescentes de hoje em dia. Vivemos a época anterior ao surgimento da expressão "bullying".. zoávamos, éramos zoados, encaravamos isso e não atrapalhou em nada nossa formação. Eram tempos mais sinceros, ao meu ver. Em tempos de eleições, não havia como escapar das Propagandas Políticas Obrigatórias, visto que a TV era o único entretenimento que havia. Claro, se você fosse um filho bonzinho e seus pais tivessem condições, poderia jogar videogame. Naquela época esses pequenos privilégios eran conquistados, não vinham de graça. Ninguém tinha "o rei na barriga", e tinhamos que conquistar a aprovação constante de nossos progenitores para podermos usufruir de certas coisas.
     

     Beijar era algo difícil na velha infância, bem ao contrário do que acontece hoje em dia, com essa garotada cada vez mais "pra frente". Nossa geração pegou o começo da internet, conectando só depois da meia-noite, escutando atentamente o barulinho da conexão sendo realizada e torcendo para "a internet estar boa hoje", para baixar UMA música. Para quem vive esses tempos de conexões cada vez mais rápidas, seria impensável uma época em que a conexão com a grande rede era discada, e em que baixar uma única música em mp3 se tornava uma tarefa hercúlea. Vivemos a emoção de mandar uma mensagem pelo msn e ficar esperando que ela chegasse, que a conexão 'ajudasse', e planejando o próximo passo a ser dado. Nesses tempos tudo era mais devagar, e realmente acredito que a paciência das pessoas hoje em dia se esvai com a mesma velocidade que as conexões de internet atingem ultimamente. Sou da geração que acordou de madrugada - coisa raríssima de acontecer naquela época - para assistir e torcer por Ronaldo e cia na Copa. Dormíamos mais, acordávamos mais cedo, e vivíamos mais, até. Em tempos que iphones e galaxys se multiplicam nas mãos dos jovens, eu me recordo de uma época onde nem celular havia.. engraçado, parece que esse período aconteceu mil anos atrás, e não à 8..
     

     É impossível fazer um julgamento de valores e apontar qual época é melhor, mas é delicioso saber que pude viver um período tão bom, e posso viver o agora.


this is it.

Um comentário:

  1. Um exercício de nostalgia é sempre bem-vindo, mesmo porque a memória, eu acredito, é um ótimo mote para os textos de ficção, não é? Legal o texto, descontraído, mas prefiro as ficções.

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
não sabe de nada, mas acha sobre muita coisa. pensa sobre tudo, o tempo todo. repara em tudo, o tempo todo. acima de qualquer coisa, é um otimista incorrigível. não se apega a estereótipos, e acredita ser essa uma de suas maiores qualidades. prefere um sorriso bonito a um corpo escultural, e um olhar sincero em detrimento de qualquer noitada homérica. não pretende ser e nem inveja o 'estilo charlie sheen' de vida, em absoluto. quer agradá-lo? cite Los Hermanos, The Killers ou Charlie Brown Jr. quer desafiá-lo? jogue a carta +4 no UNO e aguente o revide. hahaha. a estrada vai além do que se vê. nunca se esqueça. :)

followers.